terça-feira, 11 de março de 2008

Juan Diego Flórez - Tenor

Juan Diego Flórez, tenor, nasceu em Lima no Peru a 13 de Janeiro de 1973. Filho do cantor e guitarrista peruano Rubén Flórez, o cantor teve contacto com a música e o canto muito cedo na sua vida. A sua mãe era gerente de um "pub" em Lima e Juan Diego foi, durante a sua juventude, cantor substituto nesse mesmo local, cantando sempre que um outro cantor desistisse da sua apresentação.

Numa entrevista, Juan Diego Flórez comenta que esta experiência foi muito enriquecedora, mesmo que o seu reportório na altura não fosse clássico ou lírico (interpretava temas populares).


Tendo em vista seguir uma carreira na música popular, entra no Conservatório Nacional de Música de Lima com 17 anos. Nos seus estudos de canto, a sua voz lírica salientou-se de imediato. Um pouco mais tarde integra o Coro Nacional do Peru onde interpretou como solista algumas obras de Mozart e de Rossini.

Em 1993 parte para Filadélfia com uma bolsa de estudo para o Curtis Institute, onde permaneceu até 1996. Foi nesta altura que começou a interpretar o reportório Belcantista que mantém até hoje, nomeadamente óperas de Rossini, Bellini e Donizetti. Durante este período estudou também com o Mezzo Soprano Marilyn Horne, um dos grande nomes de sempre do Bel canto, na Music Academy of the West (Santa Barbara).

Em 1994 é convidado pelo pelo tenor peruano Ernesto Palacio para integrar o elenco de uma gravação da ópera Il Tutore Burlato de Vicente Matín y Soler. Ernesto Palacio passou a ser professor e "manager" de Juan Diego Flórez e foi talvez a pessoa que mais o influenciou na sua carreira.

Como acontece muitas vezes no mundo da ópera, os novos cantores são descobertos pelo público quando têm que substituir outros, devido a imprevistos de última hora. Tal facto aconteceu a Flórez em 1996 quando foi chamado a substituir Bruce Ford numa récita da ópera de Rossini Matilde di Shabran no Festival Rossini de Pesaro. O sucesso foi de tal forma que ainda no mesmo ano, o tenor debutou num dos maiores palcos operáticos do mundo, o Teatro alla Scala de Milão.

Seguem-se as primeiras apresentações no Covent Garden (Londres), na Ópera de Viena e no Metropolitan de Nova Iorque.

Desde o início da década de 2000, Juan Diego Flórez é presença constante nos mais importantes palcos operáticos do mundo. O seu reportório inclui quase exclusivamente óperas do período designado por Bel canto, nomeadamente dos compositores Rossini, Bellini e Donizetti.

No que respeita aos aspectos técnicos da sua voz, Juan Diego Flórez pode ser considerado um tenor Lírico Ligeiro (do italiano Tenor Lirico Leggero), isto é, a sua voz tem um registo agudo de grande qualidade, com agudos cristalinos, vibrantes e de potência considerável. Um registo médio de volume inferior a um tenor Lírico, mas com mais agilidade, e um registo grave medianamente desenvolvido e com volume inferior ao do registo médio.

Com estas características vocais pode-se dizer que o tenor tem escolhido o seu reportório de forma bastante inteligente, apresentado-se em papeis aos quais a sua voz está mais adaptada.

Juan Diego Flórez esteve em Portugal apenas uma vez num recital realizado a 16 de Abril de 2003 no Teatro Nacional de S. Carlos. Acompanhado pela Orquestra Sinfónica Portuguesa do Teatro Nacional de S. Carlos e pelo coro do mesmo, o Tenor, dirigido pelo Maestro Riccardo Frizza arrebatou o público português com a sua capacidade vocal.


Alberto Velez Grilo

Foto: Trevor Leighton - Decca
Texto baseado em artigos da Wikipedia e conteúdos do site www.juandiegoflorez.com

2 comentários:

Ricardo disse...

Ainda bem que ainda hoje há homens que gostam de cantar estas canções liricas, com lindissimas e fortissimas vozes, como a deste grande Homem, tenor, Juan Diego Florez, como também o Luciano Pavatotti, Placido Domingos e Jose Carreras.
Quero felicitar e agradecer ao apresentador da rubrica Alberto Velez Grilo, por falar deste grande homem,e por passar o cd e o dvd de Florez, pois na actualidade são esquecidos por muitos jovens e por muitas pessoas e é uma maneira das pessoas recordarem e de se lembrarem que as operas estão ainda na moda e não é só as pessoas mais velhas que se adequa mas sim a todas as pessoas, sejam elas crianças, adultos ou idosos.
Para mim Florez é um dos melhores tenores que a terra já viu, perdemos uma grande voz como um grande tenor Luciano Pavarotti mas ganhamos outro Juan Diego Florez, que também tem uma bela voz. Gostei de saber quem é este grande Homem, e por isso fico eternamente grato por falar novamente deste grande homem, pois quando refiro este grande homem no seu primeiro programa que era sobre uma opera que Florez participava, a qual não tive oportunidade de assistir, fico grado por falar novamente deste.
Quero desejar as maiores Felicidades ao Alberto Grilo e ao programa lado a lado e, que continuem a falar destas pessoas e destes grandes cantores.
Despeço me assim propondo se possivél que falasse também de um grande tenor Andrea Bocelli.
Viva Juan Diego Florez.

Paul disse...

Thank you for adding a link to my Opera Blog, and please excuse my inability to write to you in Portuguese.

Paul